"BIOGRAFIA"

"Rita Celorico"

 

«Poesia é a voz da Alma»

 

Rita Maria Fernandes Correia Celorico; usa o nome literário “Rita Celorico”, nascida em 05/11/1956, sob o signo de escorpião, numa linda terra à beira mar plantada, Tavira, Algarve.
Foi para Angola (Luanda) em 1965, onde concluiu o Curso Geral de Administração e Comércio na Escola Comercial de Vicente Ferreira. A sua infância foi como a de tantas outras crianças.
Em 1975, tal como muitos portugueses regressou a Portugal, e foi na cidade de Amora que se fixou até aos dias de hoje. Ainda se encontra no activo, a administrar uma empresa de transportes de mercadorias na Vala do Carregado.
É mãe de duas maravilhosas criaturas, uma rapariga e um rapaz, tem 3 netos lindos, a Iara, Diogo e Gonçalo, e são eles a luz da sua vida.
Desde cedo que começou a transcrever para o papel tudo o que lhe vai na alma, e a compreender o comportamento do ser humano na sociedade. É autodidata por natureza, e a vida tem sido o seu melhor mestre.
 Da vida quer pouco, apenas o que lhe faz bem, acresce-lhe a simplicidade e de trato fácil, adora ajudar os outros, levar até eles paz, luz e alegria. Não é pior nem melhor que outro ser humano, apenas se afirma, como tal. O amor e a liberdade fazem parte da sua natureza humana.
No seu coração só entra quem vier por bem, porque o que lhe faz mal ela deixa de fora. Estamos de passagem, e a vida é um sopro. Para quem a ama e respeita, o seu obrigada. Está ligada ao “Mensageiro da Poesia – Associação Cultural Poética”; “Confrades da Poesia”; "Rádio Confrades da Poesia”.
 
 
Blog:
Bibliografia:
Participa em Antologias.
 
 
"A espera"
 
 
Vem, me dá um abraço que estou cansada e o teu abraço me acalma como colo de mãe. 
Vem me abraça e não demores, já é tarde a hora e quero descansar.
Vem me abraçar me colocar p'ra dormir com o teu corpo me cobrir até sufocar.
Vem me abraçar está frio aqui fora, também aqui, e quase num lamento esse congelar enquanto espero a hora de tu chegares para me abraçar.
 
 
 
Rita Celorico - Amora
 
 
 
 
 
 
 
 
"ENTRE O MAR E O CÉU"
 
 
 
Entre o mar e o céu, existe a linha do horizonte onde os dois se tocam, 
a sua união é uma grande conexão, pois os dois se amam e a energia que emanam renova nossos corações de amor e paixão.
Queria ser timoneiro desse veleiro sem destino navegar e nesse mar de ondas em espuma ter o céu como tecto e nas suas águas profundas mergulhar e no próximo porto aportar.
Ouvir o barulho das ondas como música de fundo, e num sussurro profundo levantar as mãos e pedir,
que todos os meus entes queridos tenham a paz, saúde e o amor que necessitam para o futuro que à de vir.
 
 
 
 
 
Rita Celorico – Amora
 
 
 
 
 
 
 
"AI CORAÇÃO"
 
 
 
Ouço a chuva, ouço o vento aqui sozinha no leito, ouço o coração bater e fico incrédula a pensar, se na verdade é mesmo ele, ou se já estou a sonhar.
Meu coração eu te peço, não me voltes a trair, já uma vez o fizeste, mas juro que nunca mais quero voltar  a cair.
As palavras são bonitas todos gostam de as ouvir, mas os actos é que contam porque de palavras tontas estamos nós fartos de ouvir. 
Não sou poeta mas gosto de fazer simples poesia e é com facilidade que ponho aquilo que penso em rima.
 
 
 
 
Rita Celorico - Amora
 
 
 
"Mãe" 
 
 
 
Mais um dia da mãe a comemorar e aqui estou eu para te recordar, que embora no céu estejas eu te continuo a amar.
És uma das fontes de inspiração dos meus poemas que faço com coração,onde bem lá no fundo também têm a tua mão.
As saudades que tenho tuas são grandes e dolorosas, pois lembro-me de ti e dessas memórias saudosas.
Éramos cumplicidade total na nossa maneira de ser, bastava um simples olhar para sabermos a duas o que estava a acontecer.
Partiste tão cedo de mim, e nessa noite fatal eu não estava ao pé de ti para te proteger e como das outras vezes te poder salvar.
Mãe querida sei que olhas por mim e todos nós, teus filhos, teus netos e todos os bisnetos,  e daqui minha mãezinha te dedico este poema que é a forma mais bela de te beijar de forma singela.
 
 
 
 
Rita Celorico - Amora
 
 
 
 

"CONFRADES DA POESIA"

www.confradesdapoesia.pt