"BIOGRAFIA"

"Nidia Vargas"

 

Nídia Vargas Potsch  - Nickname - @Mensageir@ - nasceu a 22/09/1945 - Rio de Janeiro – Brasil
Pedagoga e Bacharel em Direito. Professora de Artes Visuais e História da Arte, por 18 anos, no Ensino Fundamental do Colégio Pedro II, RJ. – Actualmente está aposentada.
Romântica e de hábitos simples, amiga dos seus amigos, acredita que o "Amor é a mola propulsora que impulsiona, essencialmente, nossas Vidas, nosso Universo de Emoções e Sentimentos. Gosta de Arte, Literatura, Música, Cinema, Fotografia, Natureza, Animais, Dirigir Automóvel, Viajar, Navegar na Internet.
Percebeu o prazer de escrever aos 15 anos de idade quando ganhou um diário de presente.
Começou a se interessar por poesias há algum tempo, pois escrevia apenas textos. Não se considera Poeta. Gosta de brincar com a força e o efeito das palavras que atingem nossa alma e coração...
Considera-se uma Rabiscadora de Emoções e Sentimentos.
Frase que norteia a sua Vida: "Onde quer que vás, leva o teu coração!" Confúcio
É membro integrante da NOVAVPB, da AVBL, da AVSPE e do POETAS DEL MUNDO, onde está como Cônsul do Alto da Boa Vista, Rio de Janeiro, pugnando pela Paz no Mundo junto aos amigos.
Faz parte de alguns grupos de poetas como Recanto das Letras, Portal CEN, e muitos outros. Participas de vários Sites de amigos e quatro Antologias (de papel) da AVBL, Poetas del Mundo, e em livros de amigos. Actualmente é também membro integrante de “Confrades da Poesia” – Amora / Portugal.
 
Bibliografia:
 
 
Sites.:Em reconstrução
 

À Luz do Farol...
Nídia Vargas Potsch
 
 
Caminho aflita, pés descalços
a teu lado... sinto a areia fofa e o ar pesado...
Na ardência desse feitiço almiscarado
que mais parece nevoeiro de pajelança
antevejo o bramir das águas
que não arrefece o alarido das aves marinhas
como que apontando para o desvendar
do final do segredo de uma estória em comum...
 
Franjas de espumas escoam pra lá e prá ca.
Formam esculturas, numa alquimia cúmplice,
onde o desaguar da saudade que chega,
se resume em pequenos ais gemidos ao vento,
enquanto mãos se soltam devagar... mas firmemente...
 
Suspiros que restam contra a parede
do ultimato que veio com o mar,
igual luz de farol brilhante e potente,
numa explosão de polêmicas,
como ameaças constantes
à palafitas de solo arenoso...
 
Na tentativa de sobreviver, sem ti,
comunguei nas marés do esquecimento
com coração fatigado e alma exaurida...
Passo a passo deixei-me levar,
fiquei estática, um tanto martirizada,
apenas a observar o frio cenário,
a paisagem deslumbrante da minha dor...
 
 
Nídia Vargas Potsch - (@Mensageir@)
 
 
 
 
 
 
 
 
Paixões Delineadas...
 
 
 
Unidos por aliança imortal
em façanhas ardentes,
suspiros e ais paradisíacos,
no esboço de alentadores
versos de amor salpicados ao léu,
onde lamentos indesejados não tem vez,
esfumaçados são, por nevoeiro denso,
enquanto os embalados por sensual paixão,
volitam seus desejos nos ares, simplesmente, nús...
 
São partes de emoções sem limites
sentimentos que irrompem dançarinos
ao sol da primavera perfumada
em densidade perfeita,
movimentados por arco-íris
de cores brilhantes jamais imaginados.
Acordes estes, que inebriantes da paixão descrita,
criam asas em sinfonia ousada demais,
atravessam mares e oceanos
de prazeres inenarráveis...
 
 
 
Nídia Vargas Potsch - (@Mensageir@)
 
 
 
 
 
 
LUA DE PRATA
 
 
 
Com brilho expectante
o alvejar da lua cheia
de cintilações prateadas
clareiam meus sonhos
iluminam fantasias
refletem seus olhos
sua maneira de me olhar
Enfeitam minha saudade!
 
 
Como em sedução constante
trazem você até mim.
E num único instante
ouço o som da nossa melodia
percebo nas belas rimas da poesia
que tudo pode acontecer...
Neste luzir magnificente
que a lua confidente irradia
percebe-se a eternidade... a magia...
 
 
Nídia Vargas Potsch - (@Mensageir@)
Cativa...
 
 
 
Presa a teus encantos e sedução
Encontro-me à deriva do meu porto
Laço de seda amarrando o coração
No íntimo um tremendo desconforto...
 
 
Permaneces num silencio natimorto
Que me angustia e te fazes de absorto
Quando finges não entender minha paixão
Ou arrogante recriminas essa emoção...
 
 
Nada dizes, porém, afoitos julgamentos,
Atitudes impensadas, vãs e apressadas,
Nos afastam mais, criando ferimentos...
 
 
E um amor tão puro e verdadeiro,
Que poderia fluir em doces alentos
É soprado como folha morta ao vento...
 
Nídia Vargas Potsch - (@Mensageir@)
 
 
 
 
Farpas d'Alma
 
 
 
Não importa o tempo que faça
O entardecer sempre chega
Com suas nuvens sombrias...
 
Para no dia seguinte, com certeza,
O sol brilhar de esperanças
Em corações expectantes de amor...
 
 
Arames cercam, não aprisionam pensamentos.
 
Farpas existem em qualquer lugar...
 
 
 
Nídia Vargas Potsch - (@Mensageir@)
 
 
 
 
 
Talvez!
 
 
 
 
Escondo o rosto, não quero chorar
As agruras da vida e desse amor;
Pode ser que algum dia venha a achar
Fartos sorrisos depois do amargor...
 
 
Se descobrisse como te encantar
Talvez um dia tentasses me amar...
Quem sabe, usando um poema sedutor,
Conseguisse comover meu trovador?
 
 
Qual pássaro que leva no biquinho
As palhas secas com que faz o ninho,
Minhas mãos, levo-as plenas de carícias...
 
 
Porém pra ter descomplicada a vida
A mim bastava ser por ti acolhida
Nos aconchegos de tuas vãs delícias!
 
 
 
Nídia Vargas Potsch - (@Mensageir@)
 
 
 
 
 

"CONFRADES DA POESIA"

www.osconfradesdapoesia.com