"BIOGRAFIA"

"José Manuel Oliveira"

 

José Manuel Oliveira; nasceu a 24/12/61, em Luanda /Angola, onde viveu até aos 13 anos de idade.
De 1975 até 1982 viveu e estudou no Rio de Janeiro – Brasil - Desde 1982 que reside em Portugal.
Habilitações literárias 12º ano de escolaridade. Possui largos conhecimentos informáticos, dos quais faz a sua profissão.
Afiliado de hobbies: Pesca em Angola; um cinéfilo e amante de toda a música e um Motard inveterado.
Tem um apurado sentido de humor e é um bom contador de estórias e anedotas.
Desde a sua infância que vem abraçando a leitura, com gosto especial pela prosa poética. Usa o pseudónimo de “Cambito”
Actualmente é membro de “Confrades da Poesia”.
 
Bibliografia: Não tem livros publicados
 
Site.: Rascunhos do Cambito - http://cambito61.no.comunidades.net/index.php
 

Mãe.
 
Até aos dez protegido
Aos vinte anos corrigido
Aos trinta fui encaminhado
Aos quarenta equilibrado
 
Agradeço a ti Mãe
Eu sei melhor que ninguém
A luta que tu tiveste
Pela vida que me deste
 
 
José Manuel Oliveira - Casal do Marco

 

 
O Telefone tocou.
 
 
 
Sozinho estou
O telefone tocou
Uma voz falou
Minha mãe convidou…
O repasto de espera
Vem sem demora
Por esse caminho afora
À nossa casa d’Amora.
Almoço acabado
A barriguinha confortada
Fui amigo convidado
Com biquinha atestada
O Cambito gostou,
O Pinhal pagou
O primeiro agradeceu
O segundo bebeu...
E você percebeu!?
 
 
 
José Manuel Oliveira - Casal do Marco
 
 
 
 
Rotina.
 
 
De manhã me levanto
Na cama deixo o acalento
A rua o espera
O Pantufa desespera
Animal despachado
Caminho aprontado
Beijo de despedida
Caminho de seguida
Trabalho iniciado
Valor concentrado
Cabeça aguada
Casa desejada
Cão satisfeito
Jantar perfeito
Amor amado
Descanso alcançado 
 
 
 
José Manuel Oliveira - Casal do Marco
CAMBITO
(Acróstico)
 
 
Cambito assim é conhecido
Aqui foi apresentado
Muito prazer…
Busca incessantemente
Inventar outro
Tempo, para queimar
O ócio
 
 
José Manuel Oliveira (Cambito)
 
 
Amora.
 
 
Se a Amora fosse minha
Como foi dos pescadores
Namorada Ribeirinha
Com um ramo de flores.
 
Cambito – Casal do Marco
 
 
 
 
 
Conversa de Alentejanos
 
- Cumpadi…
- Digo si cumpadi…
- U mé kapa cê ti?
- U té kapa cê ti!?
- Si cumpadi…
- Na cê dê li pôrra!!!
 
 
 
Cambito – Casal do Marco
 
 
 
 
SAUDADE
 
 
 
Em sessenta e um nasci
Por terras d’Angola vivi
Até aos meus treze fiquei
Por causa da guerra abalei.
 
Cresci em parte no interior
Luanda, vida de senhor
Quanta mágoa, não fui capaz
Vencer o que deixei pr’a trás.
 
Em Portugal me encontro
Já ultrapassei os quarenta
Mas eu estou sempre pronto
Para voltar à terra benta.
 
 
 
Cambito (Casal do Marco – Seixal)
 
 
 
 

"CONFRADES DA POESIA"

www.confradesdapoesia.pt