"BIOGRAFIA"

"José Geraldo Martinez"

«No Pódium dos Talentos»

Faleceu a 28/4/2013

 

José Geraldo Martinez é natural de Araçatuba, interior de São Paulo, Brasil. Músico, arranjador, produtor fonográfico, escritor, poeta, cronista, compositor com mais de cento e cinquenta músicas gravadas e editadas. Cinco livros publicados. ( Entre Grãos os Sonhos/ Restou-me um Poema/ Nada está Perdido/ Poeira e Boiada/ Caminhos Àridos).Quatro filhos: Érika, Hugo, Caio e Dênis, filho da também poetisa Mercília Rodrigues e José Martins Rodrigues, professores. Descobriu-se escritor pelos versos que fluíam fáceis em sua criatividade pelas lembranças vividas, pelo homem que marcou sua vida quer pela grandeza, miséria ou luta. José Geraldo Martinez: músico/arranjador/produtor musical/compositor.
 150 Títulos gravados nos mais variados estilos: Sertanejo/ MPB/ Pop / Samba
Faz parte da “AVSPE”; “Raizonline”; “Confrades da Poesia” e outros portais.
 
Bibliografia:
 
Sites.:
 

APARTA-ME !
 


Aparta-me da esperança ...
Não me olhes , vai !
Não me deixes um fio de ilusão ...
de que possas voltar !
Aparta-me dos teus beijos quentes ...
Nega-me o calor dos teus braços !
Parte de mim de repente ...
Nem queira juntar meus pedaços !
Aparta-me da nossa cama ...
Mostra-me um outro canto !
Desperta-me com as malas do desencanto .
Aparta-me do teu corpo .
Nega-me tua pele !
Emudece teus desejos ...
Não olhes meu pranto !
Aparta-me de ti , faze-me forte ...
Entrega-me à própria sorte !
Não me deixes um fio sequer de esperança ...
Deixa-me pronto para negar-te um dia !
Para dizer-te um não verdadeiro ...
Para que todas as dores do abandono ...
Recaiam em ti primeiro !
E para mim implores :
-Aparta-me da esperança ...
Não me olhes , vai!
Não me deixes um fio de ilusão de que possas voltar ...
 
 
José Geraldo Martinez
 
 

 
 
AMANHECEU!

Acorda, meu amor,
espia cá da janela...
Os campos cobertos de flores,
e quantas aves tagarelas!
Acorda, meu amor,
vem ver pender os cachos,
das vinhas em laços,
com brincos lilases...
Os riachos de cristais,
de Deus, os bens naturais!
Acorda, meu amor...
Que chega manso o beija-flor
pelos hibiscos vermelhos!
O orvalho no chão, quebrados espelhos,
por sobre a cama verde do jardim.
Acorda, amor de mim!
Vem ver que belo sol...
Ispirando o rouxinol
nas floridas primaveras
penduradas sobre cercas que nivelam
as divisas
de uma estrada comprida ...
Acorda, meu amor,
venha ver os espreguiçar da vida!
Os bem-te-vis chamativos,
nos pinheiros altivos,
a névoa fresca do amanhecer...
Acorda, amor de mim!
Com olhos de quem espia o amor...
Verás, como eu, as matizes todas
das perdidas mariposas entre flores!
Sentirás como eu os odores,
que serpenteiam estes vales .
Acorda, meu amor,
que teus sonhares...
sejam nos braços deste que te desperta!
Para vivermos o futuro que nos
acoberta,
de um azul infinito e anil!
Acorda, meu amor,
hoje , minha mulher e companheira...
para os compromissos com Deus:
De nos amarmos por uma vida inteira
e ser o pai dos filhos teus!
Respeitar-te eternamente...
Amar-te no riso e na dor,
na saúde ou na doença!
Acorda, meu amor
para fazermos da nossa casa
a Santa Igreja!
Aberta em plena natureza...
Onde escuto a voz de Deus!
Acorda, amor meu...
Dos sonhos que ainda tens!
Vem, vem, vem...
Espia nossas almas namorando
no sol desta manhã,
por entre as sombras dos flamboiãs...
Acorda, amor meu,
aos olhos do homem teu!
Dá-me um sorriso de bom dia.
Tua estampada alegria,
AMANHECEU !
 
 
José Geraldo Martinez
DORME COMIGO !
 



Dorme, mulher , o sonho dos anjos...
Como seria a tua cama ?
Aqui a imaginar , tu me assanhas !
Com brancos lençóis de linho ,
abraçando tua pele morena em desalinho ?
Roçam teus seios amorenados !
Lençóis que nunca me viram deitado ,
e apenas recebem meus sonhos...
E tua janela aberta ,
com leve brisa em suas cortinas ?
Com o perfume das damas jardineiras...
Flores das noites meninas !
Dorme, mulher , o sonho dos anjos ...
Como seria o teu quarto?
Com lânguida luz de um abajour,
que desenha teu corpo à meia luz ?
Dormes e me conduzes aos mais íntimos desejos ...
De cobrir-te com meus beijos !
Teu quarto nunca me viu ...
De carpete ou piso frio ?
Leva-me nos sonhos, que seja !
Abraça-me , deseja-me !
Dá-me ,do sonhar, a certeza de que me levaste contigo !
Repousa minha alma em tua mão
e ,num momento de pura ternura ,
dorme comigo !
 
 
José Geraldo Martinez

 
 

 
REVERENCIANDO !
 
  
 Oh, noite ! Curvo-me a ti
 majestosa , imponente ...
 Criatura do nosso Onipotente !
 Grande mãe dos nossos sonhos,
 inspiradora dos meus repentes .
 Dona da lua e das estrelas do firmamento
 que oculta o vento e o silêncio da tua amplidão !
 Que embala os berços e leitos
 de quem de ti só tem o chão .
 Que do sereno faz brotar as flores,
 jogadas por tua mão ...
 Abriga-me !
 Em comunhão , lanço-me
 em tua profundidade .
 Com minha alma aberta ,
 peço-te invade-me !
 Rogo autorização para minhas poesias ,
 para minha boemia ...
 Permite-me usar teus enfeites ,
 um pouco de tua magia !
 Tua lua sobre o mar , teu vento nas palmeiras ...
 Teu silêncio pelos prados e as
 montanhas dormideiras !
 O perfume refrescante que se ergue
 dos jardins ...
 O coração do teu amante a bater
 dentro de mim !
 Empresta minha alma que é tua inteira ...
 Oh, noite ! Companheira !
 Teus adornos todos , empresta-me !
 Curvo-me em teu chão ,
 dou-te autorização ...
 Infesta-me !
 Neste momento de tua orgia ,
 Sou boêmio , sou errante ...
 
Sou poesia !
 
José Geraldo Martinez

 
 
 
 
 
 

"CONFRADES DA POESIA"

www.osconfradesdapoesia.com