"BIOGRAFIA"

 

"David Lopes"

 
 
David Nogueira Lopes usa o nome literário de David Lopes; nascido em 1947; natural de Ponte de Sôr; residente em Massamá; Viúvo. Desde a sua infância sempre foi motivado para a escrita e a leitura, onde sustém a sua veia poética. Além de poeta, também é letrista, com imensas letras musicadas e cantadas por Manuel Aleixo e Alberto Freitas. Na informática é um autodidata, com webmaster administrador da Rede Social Portugal Amigo, online desde 2006, chegou a ter mais 50.000 usuários registados
Foi um dos primeiros associados do “Mensageiro da Poesia”.
Poemas declamados com milhares de visualizações 
https://www.youtube.com/watch?v=jqiHYm1C3o8 - https://www.youtube.com/watch?v=7ZA1rPII76c
Fundou a Rádio “Onda Romântica em 2008”; mantém a parceria com a “Radio Confrades da Poesia”. Actual membro de “Confrades da Poesia”.

 

BIBLIOGRAFIA:

Psicopata das Mentiras. "Edição esgotada"

 

Sites e Blogs:

https://www.facebook.com/david.lopes4
 
GOSTAVA DE SER POETA
 
 
Gostava muito de ter   capacidade, e sensibilidade para pintar aguarelas de poesia.
Por vezes, em momentos únicos, no silêncio dos meus passos, no refúgio da minha sombra, em viagem pela fantasia dos meus sonhos, desenho algumas frases, que outros chamam poesia.
E se as minhas palavras são poesia, então também sou um poeta!....
Já que me concederam esse privilégio, comecei a dançar com as palavras, num salão imaginado de papel, dançando ao acaso, ao som dos meus sentidos, vou escrevendo fragmentos da minha vida; tentando pintar aguarelas de poesia, á minha maneira, ao meu jeito, de ver, e sentir as coisas, que me rodeiam, enquanto navegamos neste barco da vida: embora por vezes me seja difícil, descrever a revolta desta sociedade tão injusta; sendo por vezes obrigado a pactuar com ela, e para não me afundar; sigo viagem no mesmo barco, até que virá o dia, em  que se afunda, quando encalhar contra um míssil  desgovernado,  ou num icebergue á deriva.
 
 
 David Lopes - Massamá
 
 
FRAGMENTOS DE MIM 
 
 
Os anos alojados
No meu rosto
São como um raio
Desgovernado
Como um trovão
Que fulminou meu corpo
 
Aguas turvas da tempestade
Levaram-me o mocidade
Ficou o desespero e ansiedade
Pela vida que não vivi
Os anos cravados
São marcas que no tempo
O tempo me deixou
As rugas no meu rosto
São fragmentos de mim
 
 
David Lopes - Massamá
 
 
 
 
 
Andei por aí
 
Andei por ai
Procurando, não sei o quê
Vagueando pela noite
De cabeça perdida
Eu procurava
O que não encontrava
Sem saber , o que queria
Sem saber, para onde ia
Apenas sei
Que andei por ai
 
David Lopes - Massamá
 
 
 
Apetece-me gritar
 
Apetece-me gritar
Encher os pulmões
Deitar para fora
O ar poluído
Que me mata de poluição
 
Apetece-me gritar
E dizer basta
Aos homens
Que fazem a guerra
Aos homens
Que estão a poluir
O pulmão da terra
Aos homens
Que mandam matar
Crianças inocentes
 
Apetece-me gritar
Mas tudo o que quero
Se esfuma no ar
 
David Lopes - Massamá
 
 
 
 
 
 
 
TERÁ VALIDO APENA 
 
 
Terá valido
Apena?
Abraçar uma causa
Tão cedo perdida
Vender tão barato
O valor de uma vida
 
Terá valido
Apena?
Entregar um sentimento
Ofertar um ser
A troco de sofrimento
Mesmo antes de nascer
 
Os gestos e as palavras
Criaram um vazio
As ideias são agora
Como velas sem pavio
O mundo que querias
Ver num só
Desfez-se
Dessa imagem
Hoje, só há pó 
 
 
 
David Lopes - Massamá
Talvez fosse noite 
 
 
Talvez fosse noite
Quando sonhei
Com o teu rosto amor
Com lobos uivando
E a lua dormindo
Os morcegos voando
 
Talvez fosse noite
Com a lua tão calada
A brisa tão fresca
A tua face projectada
Num caminho imaginário
De uma longa estrada 
 
Talvez fosse noite
Quando te vi
Assim doce
Tão selvagem
Talvez por ser noite
Eu tive essa miragem
 
 
David Lopes - Massamá
 
 
 
 
 
Ontem nasceu um poeta 
 
Parei para pensar
E na solidão do meu quarto
Fechei os olhos, e sonhei acordado
Imaginei-me no palco
A receber o seu aplauso
 
Por momentos senti-me vedeta
O meu corpo vibrou
O meu coração acelerou
O sangue correu nas minhas veias
 
O meu sonho acabou
Sei que vivi momentos de fantasia
Na solidão do meu quarto
 
Obrigado meus amigos
Pelo vosso carinho
Pelos vossos aplausos
 
Se as minhas palavras são poesia
Ontem nasceu um poeta
 
David Lopes - Massamá
 
 
 
 
 
 
 
Esta Noite
 
 
Esta noite
As estrelas brilham
Com mais intensidade
E o brilho da lua
Entra no meu quarto
Ilumina-me o rosto
 
Esta noite
Vejo a paisagem agreste
Num tempo sem horas
Só um espaço para sonhar
E da minha face
Desliza uma lágrima
Que se esfuma no ar
 
Esta noite
Minha alma vagueou
Pelo universo da fantasia
Embalado docemente
Na acha do meu sonho
Senti a chama dos teus lábios
E refúgio nos teus braços
 
Esta noite
Na sombra da lua
Um grito de felicidade
Suavizou o meu peito
No suave orvalho da madrugada
Mais um dia que nasceu
 
 
 
David Lopes - Massamá
 

"CONFRADES DA POESIA"

www.confradesdapoesia.pt