"BIOGRAFIA"

"Bento Laneiro"

 
 
BENTO TIAGO LANEIRO, nasceu a 3 de Fevereiro em 1933 na Aldeia Nova de S. Bento (vila desde 1988).
Completou o 2° Ano dos Liceus, o Curso de Dactilografia, o Curso de Prevenção de Acidentes de Trabalho e Doenças Profissionais e ainda o curso de Socorrismo do Trabalho.
Em 1950 matriculou-se na Escola António Arroio mas viria a desistir por motivos de saúde. Tendo começado a trabalhar aos 12 anos viria a trabalhar 3 anos na Sorefame e depois durante 31 no Metropolitano de Lisboa.
Aos 33 anos fez o cursilho de 3 dias em Colares. Participou em Colectâneas  poéticas em 2000 e 2001 na Falagueira,
Reboleira e Venteira - Antologias APP: 2001, 2002, 2003, 2005, 2006, 2007 / 2008;  2008 / 2009; Forilégio de Natal: 2006 da Tertúlia Rio de Prata.
PRÉMIOS: Jogos Florais 2001 da APP - Associação Portuguesa de Poetas: 3 Menções Honrosas ern: Prosa, Soneto e Quadra Popular. Ligado à APP; Varanda das Estrelícias; Confrades da Poesia.
 
Bibliografia:
Multifaces do Poeta; Poemas de Bento Laneiro; Poeta Flor de Estufa; Lembranças Vivas.
E-mail - bentotiagolaneiro@gmail.com
 

APP É UMA BRISA
 
O AMOR NA APP,
DÁ VIDA E FAZ CRESCER!
QUE O DIGA A NOSSA GENTE,
QUE PASSA ALEGRE E CONTENTE,
COM VONTADE DE VIVER!
 
G L O S A
 
 
O poeta é um amigo,
Não sou só eu que o digo,
E, quem o diz tem razão!
Gosta de ser tolerante,
O seu ar é cativante,
Porque tem bom coração!
Em cada sócio se vê
O AMOR NA APP
 
Contemplar, é poesia
É vivê-la noite e dia,
É amar a natureza!
Ser poeta, é ter sorte,
É nunca perder o norte,
É caminhar com destreza!
A APP dá prazer,
DÁ VIDA E FAZ CRESCER!
 
Quem já é da APP,
Não vai perguntar porquê,
Qual a razão de existir!?
Divulga a nossa cultura,
Com firmeza e formosura,
Como arte a expandir!
Se o poeta é exigente?
QUE O DIGA A NOSSA GENTE!
 
Quem pertence à  APP,
É poeta, já se vê,
Por ela sente paixão!
Vai criando amizades,
Perde a noção das idades,
Cada poeta é seu irmão!
Vai crescendo em sua mente,
QUE PASSA ALEGRE E CONTENTE!
 
APP, é uma brisa,
Que apoia e simboliza,
Um grande grupo de amigos!
São os poetas de agora,
Que se amam como outrora,
Mas com diferentes castigos!
Olham o sol a nascer,
COM VONTADE DE VIVER!
 
Bento Tiago Laneiro
 
 
 
 
 
 
ANO NOVO (Temático)
 
Ano novo, Ano Novo!
Está toda a gente em festa!
O que fazemos ao velho?
Será que ele já não presta?

 
Paciência! Foi-se embora!
Talvez fosse mal tratado!
Amemos mais este, agora,
Antes que fique estragado!

 
Tanto fogo-de-artifício,
Tanta comida a mais!
Oxalá que o Ano Novo,
Não traga tempos fatais!

 
Este mundo não se entende,
Ninguém sabe o que é que quer!
Um homem perde a razão,
Faça lá o que fizer!

 
Que o Ano Novo nos traga,
Pelo menos, mais amor!
Pode ser que se consiga,
Menos frio e mais calor!

 
Mais calor nos corações,
Para haver menos maldade!
E, encher o Ano Novo,
Com muita fraternidade!

 
Bento Tiago Laneiro - Amadora
 
 
 
 
Centro Cultural e Desportivo do Metropolitano de Lisboa

“Cá no centro cultural e desportivo,
Reina a paz, harmonia e amizade!...
Os passeios são p´ra nós aperitivo,
Que nos fazem conservar a mocidade!

No desporto, há garra e competição,
Cada qual, pretende fazer melhor!
O contrário é tratado como irmão,
E no final, todos banham em suor!

Somos do primeiro Metropolitano,
Deste Metropolitano de Lisboa!
Foi aqui, bem perto do Oceano,
Que sonhámos levar uma vida boa!

Também os nossos grupinhos musicais,
Vão animando os que tem mais pachorra!
O canto coral, e outros eventos mais,
Fazem dançar, p´ra sacudir a alforra!...

Vamos bailar, porque este e o nosso dia,
Vamos mexer que a ginástica faz bem!...
Quando o convívio já tiver muita alegria,
Então é certo que eu vou dançar também!

Toca a música, continuem a tocar!...
Rapaziada, é uma festa anual!
Somos idosos, mas e hábito dançar,
Em qualquer Terra deste nosso Portugal!

Bento Tiago Laneiro – Amadora
 
À SUSANA E AO FILIPE
 
Que se passa, Susana e Filipe?
Não entendo a vossa linguagem!
Será apenas um acepipe
De ternura e sã camaradagem?
Não vislumbro o que se passa em vós!
Será amor que não sente idades?
Talvez duelos passados a sós
Quando existem grandes amizades!
É engraçado brincar com arte
Onde mal se vê a brincadeira
De alguém que ama uma pessoa!
Existe o lirismo em toda parte
Mesmo que nem sempre a gente queira
E que um amor assim tão bem soa!
 
Bento Tiago Laneiro
 
 
 
 
SÃO COISAS DA VIDA
 
Ela não pensava em mim,
Eu é que pensava nela!
Nos anos em que a não vi,
Desde o dia em que parti,
Pensava nessa donzela!
Ela foi a escolhida,
E afinal me foi dada!
Se foi obra do destino,
Ou foi projecto Divino,
Disso não percebo nada!
Os anos foram passando,
Alguns bons e outros não!
Que alegrias e tristezas
Nos ensinaram certezas
E melhor compreensão!
Já não há quem não aprenda
Com as magias da vida!
Aqueles que culpam Deus
E não lembram erros seus,
Têm fé adormecida!
Eu sofri, ela sofreu,
Fomos os dois sofredores!
São os humildes e os pobres
E os de corações nobres,
Que suportam mais as dores!
O mal vem de Satanás,
De Deus vem consolação!
Usando objectos benzidos,
Ficamos mais convencidos
Da Divina protecção!
 
Bento Tiago Laneiro
OBRA DE ARTE
 
Não há corações de pedra
Nem de prata nem de ouro!
Cada qual possui o seu
Que é um templo que Deus deu
Um sacrário, um tesouro...
Do coração sai o amor,
A tristeza e a alegria!
Esta bela obra de arte,
É dela que o sangue parte,
É verdadeira magia!
É um templo do Senhor
Que deve ser respeitado!
Do coração sai a paz,
A lutar ninguém a faz,
Quem não ama é derrotado!
Nunca um coração duro
Consegue a felicidade!
A dureza fecha a porta,
O ser justo é que importa
Para mais fraternidade!
Vamos todos despertar
Corações atrofiados!
Trazer paz ao nosso mundo
Com amor sempre profundo
Para os mais desconsolados!
 
Bento Tiago Laneiro
 
 
 
 
TER TEMPO PARA AMAR
 
Todo o mundo é meu amigo
Porque inimigos não tenho!
Quando às vezes não me empenho,
Não ter tempo é um castigo!
O tempo passa a fugir
Como o vento que passou!
Os sonhos que me levou
Jamais os vou conseguir!
Perdemos tempo sem fim,
Somos exemplo da "Marta"
Sem tempo para louvar!
"Maria" não pensa assim,
Do trabalho estava farta
Por isso, escolheu amar!
 
Bento Tiago Laneiro
 
 
 
 
 
RESPEITAI A NATUREZA
 
Quem adora a natureza
Possui um coração nobre!
É grande quando respeita,
Esta Terra tão perfeita,
Quer, seja rico ou pobre!
O que existe à nossa volta
São meios que Deus nos deu!
Gerimos algo que é nosso
Com respeito do que é vosso
E cada qual ao que é seu!
Como o Sol é para todos,
A terra e o mar, também!
Legislai a natureza
Com partilha da riqueza
Sem isenção de ninguém!
Há os que não têm nada,
Pois… Bendito seja Deus!
Quer, filhos ou enteados,
Por Deus, todos são amados,
Sejam crentes ou ateus!
Tudo aquilo que Deus quer
São corações bem leais!
Que amem sem condições,
Dando constantes lições,
E, amem cada vez mais!
 
Bento Tiago Laneiro
 
 
 
 
 
SERÁ QUE O MUNDO MUDOU?
 
Meu amor, onde é que andas?
Passa o tempo e não te vejo!
Se tu encontraste a paz,
Que tanta falta nos faz...
Era esse o teu desejo!
Neste espaço perturbado
Não há paz nem há sossego!
Há povo desesperado,
Oprimido e cansado,
Que espera por emprego!
Os bons hábitos mudaram,
Já não se aprendem Ofícios!
Aprendizes que estudaram,
Aos poucos se afirmaram,
Foram tendo benefícios!
Os jovens vivem pasmados,
À custa dos magros fundos!
Vão-se tornando ociosos,
Cada vez mais preguiçosos,
Sem sentimentos profundos!
Quando os chamam já não vão,
Parece que algo parou!
Os governos se entretém,
Com coisas que não convêm,
Será que o mundo mudou?
 
 
Bento Tiago Laneiro
 
 
 
 
 
VAMOS TODOS CONVIVER!
 
Eu quero viver contente,
Esquecer qualquer fadiga...
E dizer a toda a gente:
Eu te amo meu amigo,
Eu te amo minha amiga!
Quero ser sempre feliz
Com pessoas optimistas!
Esquecer erros que fiz
E o tempo em que não ri
Por motivos pessimistas!
Fazer contas, eu não faço,
Ao pouco tempo que falta!
Vou deixar esse espaço
Para ter mais alegria
E conviver com a malta!
Raparigas e rapazes
Vamos cantar e sorrir...
Que ainda somos capazes!
Aproveitar a amizade
Que a vida passa a fugir!
Este, é mais um almoço
Dos colegas reformados!
Afinal, já não sou moço,
Quero conviver convosco
Meus amigos sempre amados!
Vamos todos conviver
Porque hoje é dia de festa!
É um dia a não esquecer,
Como a vida são três dias
Destes três, já pouco resta!
 
Bento Tiago Laneiro
 

 

 

 

 

OLHA O METRO
 
Olha o Metro! Olha o Metro!
Abri os olhos e olhai!
Olha o Metro de Lisboa,
Olha onde é que eleja vai!
De Sete Rios e Entre Campos
Desceu ao Restauradores!
Subiu aos Anjos e Alvalade,
Transportando a Mocidade,
E muitos trabalhadores!
Por Campo Grande passou
Para ir até Telheiras!
Foi a Conchas, Odivelas,
Para apagar as velas,
 E festejar as carreiras!
Quis fazer a experiência,
Foi até ao Oriente!
E esta transportadora,
Que vai até Amadora,
Deixa o povo tão contente!
 
Bento Tiago Laneiro
 

 

 
 
 

"CONFRADES DA POESIA"

www.confradesdapoesia.pt